O HISTÓRICO DE TRAIÇÕES DE CARLOS EDUARDO

 



Prefeito de Natal em 2002 graças à Wilma de Faria que renunciou ao cargo, Carlos Eduardo sempre foi um político prepotente e arrogante. Reeleito em 2004 em uma campanha disputadíssima contra Luiz Almir, Carlos só não perdeu a eleição graças- mais uma vez- ao capital eleitoral de Wilma que botou a "máquina" pra moer na reta final da campanha.  Em 2004, Micarla de Souza foi companheira de chapa e consagrou a reeleição do prefeito.

Qual o gesto que recebeu em troca ? Foi humilhada como vice por quem lhe jurava amor eterno.

Realizando uma gestão feijão com arroz, não conseguiu eleger sua sucessora em 2008. Fátima Bezerra, então deputada, era a candidata de Carlos, de Wilma, de Lula e de Garibaldi. Perdeu a eleição para a Jornalista Micarla de Souza, a candidata de José Agripino.

Derrota grande para Carlos Eduardo.

Boicotada pela então governadora Wilma e pelo presidente Lula, Micarla não conseguiu realizar uma boa gestão também pela incompetência de sua equipe e pela safadeza do seu grupo à época. Boa vontade e dedicação tinha de sobra.

Marcada pelo desastre administrativo, a gestão de Micarla acabou trazendo de volta ao cenário político o ex-prefeito Carlos Eduardo, que com medo de uma candidatura de Wilma, a convidou para ser sua vice, prometendo voz ativa na gestão.

Vencida a eleição, qual a retribuição de Carlos à Wilma ?

Não abriu espaços para a vice, segurou por tempos a nomeação de sua equipe na vice-prefeitura e escanteou a guerreira. 

Esse é Carlos Eduardo, traiu todo mundo que o ajudou.

Mais na frente, em 2016, teve como companheiro de chapa na reeleição o deputado Álvaro Dias, indicado do PMDB e do deputado Henrique Alves.

Álvaro abandonou o mandato na Assembleia para assumir a vice-prefeitura, um acordo que envolveu até mesmo o presidente Ezequiel, que manteve as indicações de Álvaro intactas. No que tange aos cargos, a Assembleia passou um período com 25 deputados.

Sim, voltando a vice...

Fazendo valer a máxima de que vice é vice, célebre frase dita por Carlos, o prefeito fez seu companheiro amargar dias de angústia. Na máquina municipal, Álvaro só teve o direito de indicar Rodrigo Quidute na Controladoria do Município e alguns outros carguinhos de aspone.

Pois bem, quis o destino que em 2018 o Prefeito Carlos Eduardo renunciasse ao cargo para disputar o governo do RN, fazendo Álvaro ser efetivado no cargo de Prefeito de Natal. 

Começava ali a saga, para continuar mandando no município. Sem sucesso.

Não foram poucas as ligações que o ex-prefeito disparou para o atual afim de querer interferir em decisões, em modificações de equipe e outras coisas mais. Álvaro era constantemente perturbado por Carlos, que ainda se achava prefeito.

A relação entre os dois azedou quando Álvaro engrossou o pescoço e passou a tomar atitudes duras, demitindo gente e dando a Natal uma nova cara.

em 2020, ao se sentir escanteado, o ex-prefeito passou a ameaçar seu sucessor, inclusive publicamente através do twitter, onde disse o cão com Álvaro, mesmo tendo sua mulher pendurada na administração. Na época, foi necessária uma intervenção de Henrique Alves, que calou o primo e botou panos quentes na briga.

Hoje, Carlos que já atacou todo mundo, quer ser o senador de Fátima ou candidato ao governo pela oposição.

Um político que sempre desprezou todos que o ajudaram, que pensa somente em si próprio, que prega a política do ódio, que durante anos congelou Natal e nos fez conviver com uma gestão feijão com arroz, colhe os frutos do seu histórico de traições.

Uma pessoa, seja de qual corrente for, em sã consciência, não quer aliança com um político desse nível. 

Postar um comentário

0 Comentários